Como tem feito os processos de recrutamento? E no que toca à retenção da equipa? São questões que necessitam de ser pensadas e há estratégias que pode seguir e aplicar na sua Instituição!

As Instituições passam atualmente por algumas dificuldades em contratar e manter profissionais, este artigo serve como “guia” para ajudá-lo nesta fase de crise!

Nunca se esqueça – está a recrutar não só Educadores de Infância, mas também seres humanos com necessidades únicas e isto é muito importante.

Que estratégias pode implementar na sua Instituição?

1. Tudo começa nos processos de recrutamento!

É uma das etapas mais importantes nos recursos humanos de uma Instituição. A seleção eficaz e as primeiras impressões dentro de uma entidade são essenciais.

Oferta de emprego

Divulgue com intensidade a sua oferta de emprego e saiba como e onde atrair os profissionais, muitas das vezes eles estão em redes sociais! Tire partido destes canais para encontrar pessoas e faça uma publicação apelativa nas respetivas páginas das Instituições.

Pode recorrer por exemplo a grupos privados do facebook relacionados com a área da Educação de Infância a nível nacional, ou em grupos de emprego na área onde se encontra, veja exemplos:

Destaque-se no meio de tantas publicações e “conquiste” os profissionais com uma publicação de emprego apelativa, existem ferramentas gratuitas como por exemplo o Canva (com milhares de templates). Coloque na publicação todos os detalhes possíveis e uma imagem apelativa (área a contratar, localização, requisitos, horários e benefícios).

 Deixamos um exemplo feito no canva:

💡Sugestão: Parcerias com Universidades e Politécnicos para divulgar ofertas de emprego pode ser uma boa opção!

Entrevista e Seleção

Depois de analisar vários currículos, estruture a sua entrevista (é aconselhável fazerem-se pelo menos duas entrevistas) com as questões pertinentes para a função. Para isso tenha uma equipa multidisciplinar a fazê-lo para obter várias visões.

Nesta etapa, aproveite também para “promover”  a sua Instituição com o máximo de transparência possível, até porque as pessoas precisam de sentir que se encaixam nos objetivos do local; isto para não terem expectativas irreais do trabalho que vão aceitar.

Passada a fase das entrevistas selecione um grupo e analise os que se encaixam melhor na proposta pedagógica da Instituição. 

Contratação e Onboarding

Ao contratar novos profissionais, é necessário ter em conta que são pessoas que estão a conhecer o meio e a tentar encaixar-se, por isso é preciso ter alguma paciência e cuidado com a imagem que a Instituição passa logo no início.

Arranje alguém que seja o guia dessa pessoa e que lhe explique todas as questões a nível de funcionamento, cultura entre outras questões relevantes, que seja uma companhia na hora de almoço por exemplo!

2. Em tempos de crise, saiba como agir

Em primeiro lugar perceba qual é a raiz do problema atual e como isso está a influenciar a sua equipa. Seja a nível financeiro, mau ambiente entre colegas, falta de recursos materiais, dificuldades financeiras, saídas para o ensino público, etc…

Prevenir é uma das coisas mais importantes a fazer, utilizando estratégias para determinadas situações, que já se sabe que podem acontecer! Esta prevenção pode ajudá-lo a não perder profissionais competentes.

Certifique-se que, além de arranjar soluções para problemas que existam na sua Instituição, tem um Plano de Contingência para os tempos de crise e parceiros a quem possa recorrer para orientá-lo em determinadas situações.

O que pode fazer para amenizar ou evitar algumas crises?

  • Desenvolver um bom ambiente na Instituição; 

  • Ter estratégias para potenciais cenários;

  • Trabalhar na motivação da sua equipa.

Espreite  alguns conselhos na perspetiva do Educador Fábio Gonçalves da página “Apontamentos sobre Educação e Infância” deu no ano passado às Instituições:

☑️“É fundamental que todos se sintam bem no seu local de trabalho, que acordem de manhã e gostem do local para onde vão, que gostem do que vão fazer. Isso faz a diferença.”

☑️“É essencial que as direções tenham uma comunicação aberta com as equipas educativas e que as escutem antes da tomada de decisões que as impliquem.”

☑️“Há instituições que estão a antecipar o problema (…) dispensa da componente não letiva presencial; tempo para planeamento e avaliação nas paragens letivas (…)”

Retirado de: https://www.facebook.com/photo/?fbid=586874233304254&set=a.152043976787284 

💡Sugestão: Leia o nosso ebook 5 dicas para Enfrentar os Desafios Financeiros em: IPSS ou Colégios – capítulo 2

3. Saber gerir profissionais, é saber gerir pessoas!

Numa Instituição, não basta contratar profissionais qualificados, é preciso mantê-los comprometidos e motivados ao longo do ano letivo. Implemente estratégias que o podem ajudar:

  • Avaliação da Satisfação: Avaliar é muito importante para saber onde atuar. Questionários anónimos podem ser uma boa opção visto que apela à transparência das pessoas e é possível perceber problemas comuns.

🔎Utilize o Google Forms é uma ferramenta fácil, gratuita e intuitiva para estas situações.

  • Ter um responsável pela felicidade no trabalho: Chief Happiness Officer (CHO) é o responsável pela felicidade numa empresa, mas também podemos aplicar a uma Instituição! Pode não ser necessariamente um cargo, mas sim uma função que pode ser assumida por uma ou várias pessoas.
  • Promover a saúde mental: É um tópico que tem quebrado tabus em vários contextos. É necessário que a sua equipa esteja bem. Pode sempre promover programas para a Saúde Mental dos profissionais, com sessões de “Coaching”, ou “Mindfulness” e Meditação (Espreite este episódio do nosso podcast: #21: O Mindfulness na Educação de Infância com Iolanda Pereira)
  • Pequenas recompensas: Ao longo do ano recompense cada membro da equipa com algo útil. Ou então, por exemplo, “ofereça” um dia extra de descanso, como o dia de aniversário!
  • Formação online: Capacitar a equipa com formações online,  facilitando a gestão do tempo dos profissionais, assim não precisam de se deslocar, não perdem tanto horas no trânsito, nem a Instituição tem mais encargos com ajudas de custo! 

🔎A plataforma ChildDiary oferece mais de 30h de formação online aos profissionais, para além de aprenderem a utilizar uma nova Plataforma, têm acesso a sessões de teor pedagógico com as Educadoras da nossa equipa. Ou pode sempre oferecer à sua equipa a subscrição da ChildDiary Webinars, a “Netflix dos Educadores”.

  • Tecnologias para melhorar o dia-dia: Como por exemplo a utilização de uma plataforma para Educadores para poupar tempo com os registos, avaliações e que seja uma boa ferramenta de comunicação, profissional e 100% segura,  como a ChildDiary, a plataforma mais pedagógica de Portugal.
  • Conhecer as necessidades da equipa: Ouvir as necessidades de cada um e do grupo, é essencial. É muito importante dar voz aos profissionais, as pessoas sentem-se valorizadas e podem existir várias questões comuns a todos. Um bom exemplo, é incluí-las em reuniões sobre orçamento e investimentos para novos recursos.

Veja as dicas da Diretora do Cantinho dos Amigos, Isabel Jerónimo, retiradas de mais um dos eventos da ChildDiary, onde refletiu sobre a importância de envolver e motivar a equipa com:

☑️Um planeamento adequado, a monitorização dos projetos, e até, as parcerias entre as diversas valências são muito importantes. 

☑️Várias estratégias e dinâmicas em equipa como por exemplo: reuniões, formações, eventos de Team Building e Intercâmbio de funcionários.

💡Sugestão: Veja ou reveja o podcast #59 “Sou coordenador/a técnico/a ou pedagógico/a e agora?!

Todos os cuidados desde o momento que se contrata são fundamentais para a cultura e ambiente da Instituição. Comece já hoje a colocar em prática as dicas da ChildDiary!

Cátia Barbosa

Especialista de Marketing

Motive a sua Equipa com a plataforma mais pedagógica de Portugal!