Comunicação escola-família: Será que fazemos o suficiente - Envolvimento parental

Entre a correria do trabalho e os afazeres domésticos dos dias de hoje, são muitos os pais que não conseguem ter uma comunicação contínua com a creche ou escola dos seus filhos.

Assim sendo, será que enquanto educadores utilizamos os melhores métodos de comunicação escola-família?

Na verdade, após vários meses ao telefone com centenas de educadores e direções de creches e jardins de infância, verificámos que a grande maioria das creches e pré-escolares têm efetivamente algumas dificuldades em  comunicar eficazmente com os pais. Contudo, esta comunicação pode, e deve, ser melhorada no sentido de, em conjunto, serem estabelecidas relações positivas, de confiança e proximidade que possibilitem a aprendizagem contínua entre casa e escola o que,  consequentemente, beneficia o desenvolvimento da criança.

Porque é que a comunicação escola-família é importante?

Existe uma grande diversidade de fatores que interferem no processo de desenvolvimento e de aprendizagem de uma criança, nomeadamente os fatores ambientais e sociais.

O ambiente familiar é extremamente importante e influente para o desenvolvimento das crianças, especialmente nos primeiros anos de vida. O ambiente escolar, por sua vez, exerce um papel fundamental e insubstituível no desenvolvimento e aquisição de aprendizagens sociais, académicas, motoras, emocionais e linguisticas das crianças.

Têm sido evidentes as inúmreas alterações pelas quais a sociedade tem passado, nomeadamente a nível tecnológico e social, o que consequentemente se repercute na estrutura familiar e até na própria estrutura escolar.

Estas alterações levaram a que as crianças passem cada vez mais horas dos seus dias em creches e jardins de infância. Este factor atribuiu assim ao ambiente escolar acrescidas responsabilidades na promoção do desenvolvimento holistico da criança e na comunicação com as famílias.

Tornou-se essencial que as escolas repensem as suas práticas pedagógicas e comunicativas, de forma a entender da melhor forma possível as singularidades de cada criança e seu respectivo ambiente familiar.

Isso só é possível se existir uma parceria e comunicação constantes entre a escola e a família, de modo a que os objetivos educativos sejam alcançados de acordo com os interesses e necessidades de cada criança.

E na verdade, esses objetivos só vão ser atingidos se a escola estreitar relações com a família. Contudo, encontrar novas formas de comunicação escola-família tem sido um grande desafio para muitos educadores de infância.

Comunicação escola-família – Será que fazemos o suficiente?

Respondendo à questão inicial deste artigo, a verdade é que na grande maioria das vezes, não fazemos o suficiente no que concerne à comunicação com as famílias.

Nos dias que correm, as responsabilidades da escola, vão muito além da tradicional transmissão de conhecimentos.

A sua função é muito mais abrangente e tem como tarefa principal, educar as crianças para que as mesmas tenham uma vida plena e realizada, além de as tornar os cidadãos do futuro.

Assim sendo, é possível dizer que a vida escolar e familiar de uma criança está intrinsecamente ligada. É quase impossível separar a questão aluno/filho. Por isso, quanto mais estreita for a comunicação escola-família, melhor será o desempenho escolar da criança (atual e futuramente).

Nesse sentido, é importante que família e a escola saibam aproveitar os benefícios desse estreitamento de relações, pois isto irá resultar em princípios facilitadores da aprendizagem e formação social da criança.

Ao existir uma melhoria significativa da comunicação entre ambas as partes, a verdade é que será a criança a ser valorizada, porque os pais sabem exatamente o que se passa na escola (inclusivamente se existe alguma dificuldade em especifico) e a escola, sabe que ao comunicar com os pais, os mesmos vão também tentar perceber os motivos da criança.

Comunicação escola-família: Será que fazemos o suficiente - Pais na sala

Como resposta a esta necessidade de estreitamento de relaçãoes com as famílias, os profissionais de educação dinamizam várias atividades e métodos para comunicar e envolver as famílias. A saber:

  • reuniões de pais ao longo do ano letivo
  • caderninhos vai-vem
  • convites às famílias para participar em dias especiais (ex: Dia do Pai, Dia das Profissões, etc.)
  • envio de CD/pen com fotografias da criança no final do ano letivo
  • envio de fichas com registo das rotinas diárias
  • partilha de fotografias nos placards das creches e jardins de infância
  • entre outros.

Contudo, estes métodos não são, muitas vezes, eficazes, requerem muito tempo e a informação perde-se ou simplesmente não se recebe das famílias o envolvimento pretendido.

Posto isto, também tem sido frequente a criação de páginas e/ou grupos no Facebook e Whatsapp o que  compromete a confidencialidade e privacidade das crianças e não está de acordo com as normas referentes à protecção de dados nacionais e europeias.

Assim sendo, por que não tirar partido de um software especialmente desenvolvido no e para o contexto de sala em creche e jardim de infância? O ChildDiary é uma ferramenta de trabalho que permite uma ágil, consistente e privada comunicação com as famílias.

Preencha o formulário para aceder em exclusivo a artigos sobre educação de infância.